Tratamento de Varizes

O Avanço Tecnológico e as Varizes

O vertiginoso desenvolvimento tecnológico das últimas décadas trouxe em seu bojo benefícios e desafios à humanidade. Por um lado, a melhoria da qualidade de vida por meio da tecnologia é inconteste. Por outro lado, corremos um risco constante de sucumbir à sedução tecnológica, desconsiderando seus efeitos adversos. Por exemplo, o custo adicional do incremento tecnológico, em algumas situações, pode não se justificar em comparação com métodos convencionais consagrados.

Aplicada à Angiologia e ao tratamento das varizes, essa discussão ganha enorme relevância, uma vez que o tratamento das varizes e “microvarizes” sofreu uma verdadeira revolução nas últimas décadas. Tomemos a cirurgia para tratamento de varizes com comprometimento (insuficiência) da veia safena, por exemplo. Essa técnica cirúrgica praticada há mais de um século tem sido substituída por uma intervenção minimamente invasiva que cauteriza internamente a veia, por meio da introdução de um cateter de RADIOFREQUÊNCIA ou de uma fibra ótica de LASER, isso, desde a década de 90. Guiado por visão ultrassonográfica em tempo real, esse procedimento implica em tecnologia avançada e tem sido reconhecido como superior à cirurgia convencional pela comunidade internacional de especialistas na área.

Mesmo assim, cada caso deve ser avaliado individualmente e a decisão médica deve ser tomada considerando-se riscos e benefícios inerentes a cada método e não, influenciada pelo apelo que as técnica modernas possam causar. Além do tratamento cirúrgico de varizes com insuficiência da veia safena, o tratamento de escleroterapia (“Aplicação de microvarizes” ) das pequenas veias danificadas nas pernas, denominadas telangiectasias e veias reticulares insuficientes, também esse tratamento foi modernizado. Gerações sucessivas de equipamentos de LASER transdérmico foram aperfeiçoadas, produzindo resultados cada vez melhores.

Particularmente, o LASER 1064 tem sido considerado o mais apropriado para o tratamento cosmético das veias indesejáveis nas pernas. Esse método pode ser usado isoladamente ou em associação com a escleroterapia química, que é a injeção de solução esclerosante com agulha (ver CLaCS).

Finalmente, a tecnologia também influencia o tratamento das varizes por meio de injeção de químicos sob a forma de espuma. O uso rotineiro da assistência ultrassonográfica durante a injeção da espuma química e o desenvolvimento de fármacos mais elaborados, aumentaram a eficácia e a segurança dessa modalidade terapêutica. Diante de tanta informação e opções, não causa surpresa o paciente sentir-se perdido e inseguro. Também pode ocorrer diversidade na opinião médica, para agravar ainda mais a confusão.

Há que se pensar que, por caminhos diversos, podemos chegar ao mesmo destino, no caso, a um bom resultado no tratamento das varizes e “microvarizes”. O melhor caminho é procurar a opinião de um especialista em Angiologia de confiança, por meio de uma consulta médica, na qual será feito um diagnóstico e proposto um tratamento de acordo com o caso.

AGENDE SUA CONSULTA