Blog

Graus de varizes: como são classificados?

Graus de varizes: como são classificados?

Varizes são veias dilatadas e retorcidas que aparecem com mais frequência nas pernas e nos pés. Elas se formam devido a uma deficiência das válvulas responsáveis por bombear o sangue em sentido contrário ao da gravidade – o que causa o refluxo sanguíneo e o empoçamento do sangue dentro dessas veias deficitárias, deixando-as mais aparentes em alguns casos e doloridas e inchadas em outros.

Em geral, as varizes não trazem sérias complicações para a saúde, sendo normalmente mais um incômodo estético, principalmente para as mulheres. No entanto, há casos em que elas podem trazer complicações para a saúde, como inchaços de pés e pernas, problemas no sistema circulatório, sangramentos, inflamações das veias doentes e, em casos mais graves, coágulos que podem causar trombose e embolia pulmonar.

Existem basicamente três tipos de varizes: veias tronculares, microvarizes e veias reticulares. Saiba mais sobre a classificação do grau de varizes e quais os tratamentos disponíveis para cada caso no artigo a seguir.

Microvarizes

São as varizes azuladas e esverdeadas visíveis na pele, mas que não têm saliência. Podem causar dores ou cansaço nas pernas, mas seus efeitos costumam ser mais estéticos que de saúde.

Veias reticulares

São os conhecidos “vasinhos”, que se formam em forma de ramificações e têm a cor avermelhada. Seu efeito é puramente estético e não traz nenhum risco à saúde.

Veias tronculares

São varizes mais grossas e que ficam bem visíveis na pele. Normalmente aparecem mais próximas aos pés e já trazem sintomas como sensação de cansaço nas pernas e edemas ao fim do dia. Essas são também as que podem trazer complicações, como flebites – que são uma inflamação da veia com um coágulo dentro dela –, dores e outras inflamações. Além de sangramentos e úlceras, em especial próximas ao tornozelo e de difícil cicatrização, especialmente em pacientes diabéticos.

Tratamentos para cada grau de varizes

Há quatro métodos para o tratamento das varizesl. A cirurgia convencional é feita no hospital, com anestesia local-regional (que paralisa o movimento das pernas). O procedimento é feito com micro agulhas para a retirada das veias doentes e dura de uma a duas horas. O tempo de recuperação é de até 15 dias, dependendo do tamanho da cirurgia. É indicada para as varizes de veias tronculares.

Já a cirurgia a laser trata as varizes com laser ao invés de retirá-las com agulhas. Também é um procedimento hospitalar muito recomendado para tratar varizes na veia safena. A Escleroterapia, também conhecida como “aplicação”, é utilizada para o tratamento dos vasinhos, as veias reticulares. É um procedimento ambulatorial e de rápida recuperação, assim como a esclero com espuma, indicada para o tratamento das microvarizes. Em grandes quantidades, as microvarizes também podem ser tratadas com cirurgia.

Cuidados e prevenção

Hereditariedade, obesidade, gestação e passar longos períodos em pé ou sentado são algumas das causas das varizes. É possível evitar o aparecimento e agravamento da doença com a prática de exercícios físicos, emagrecimento e o uso de meias elásticas, com recomendação médica. Para as pessoas que passam muitas horas sentadas ou em pé, a recomendação é se movimentar periodicamente para ativar a circulação e para que os músculos auxiliem a bombear o fluxo sanguíneo. A caminhada diária estimula a circulação sanguínea  e promove o crescimento de novos vasos que vão substituir os deficientes.

Tem mais dúvidas sobre o tratamento de varizes? Deixe nos comentários e compartilhe com a gente!

Postado em: Notícias

Deixe um Comentário (0) →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

AGENDE SUA CONSULTA