Blog

TROMBOSE VENOSA E GRAVIDEZ

TROMBOSE VENOSA E GRAVIDEZ

O que você, grávida, precisa saber sobre trombose

Trombose Venosa e Gravidez: O Natal está chegando e com ele, um novo ano se aproxima. Para os leitores do nosso site, oferecemos este texto como nossa dádiva de Natal e nossos votos de um abençoado 2020.

Mas como assim? Um texto sobre Trombose Venosa, ainda mais associada com a gravidez, isso poderia ser considerado um presente? Não seria momento de alegria e celebrações à vida e à saúde?

Sim, vivemos um momento singular do ano no qual, por pior que sejam as circunstâncias, a crise política e a letargia da economia, o assim chamado clima natalino parece injetar potentes endorfinas nas pessoas e uma esperança otimista insiste em brotar nos corações.

Nesse contexto, jovens casais planejam formar sua família e algumas mamães ansiosas esperam, com o novo ano, seus tão sonhados bebês.

Para que essa alegria seja plena, queremos contribuir com algumas informações que ajudarão as gestantes e as puérperas (o bebê chegou há poucos dias) a evitar um estado de vulnerabilidade à formação de trombos nas veias.

cta-whatsapp

 

Você sabia que o risco de trombose venosa e embolia pulmonar aumenta durante a gestação e o puerpério?

É a mais pura verdade. “Não bastasse todo o trabalho que envolve o pré-natal, ainda vem mais uma preocupação adicional? Estou atordoada…”

Não fique! Estamos aqui para ajudar você e o seu bebê com algumas orientações importantes e que podem passar despercebidas durante a gestação.

O risco de trombose venosa durante a gestação aumenta cerca de 5 vezes e, durante o puerpério, cerca de 20 vezes. Números bastante assutadores…

Isso ocorre devido a alterações que ocorrem no período gestacional, tornando a grávida susceptível à formação de coágulos dentro dos vasos.

Entenda a Tríade de Virchow, 3 fatores associados à trombose

Ele viveu no século XIX e sua genialidade é inquestionável, pois seus postulados permanecem válidos até os dias de hoje. Incrível, não? Vejamos o que Virchow observou e estabeleceu:

1. Lesão ao endotélio (revestimento interno dos vasos) vascular

2. Estase venosa (lentidão no fluxo sanguíneo no interior dos vasos)

3. Alterações na composição do sangue que aumentem a capacidade de coagulação (hipercoagulabilidade)

Todas as vezes em que as condições supracitadas estiverem presentes, isoladamente ou em conjunto, teremos um risco de trombose aumentado.

Esse risco será tanto maior, quanto mais circunstâncias adversas se somarem, ou seja, se houver as 3 condições, simultaneamente, o perigo de trombose será real, sendo assim, podemos afirmar que, durante a gestação e o puerpério, todas essas condições estão presentes:

Hipercoagulabilidade devido à diminuição de anticoagulantes naturais, lesão ao endotélio ligada aos processos de implantação do embrião e da placenta e estase venosa devido à compressão do útero sobre a Veia Cava Inferior, principal veia abdominal de drenagem dos membros inferiores.

Outro ponto a destacar: os cuidados com a circulação devem começar desde a detecção da gravidez até algumas semanas após o parto e não somente quando o útero esta bem crescido.

Para cada mil partos, há cerca de 2 fenômenos tromboembólicos

A estatística pode causar espanto a você, que está grávida ou que pretende engravidar, mas não podemos fugir à realidade. Podemos sim, adotar medidas para minimizar os riscos.

Na vasta maioria das vezes em que há um caso letal de embolia ligado à gestação, pelo menos um fator de risco poderia ter sido identificado e controlado.

Dessa forma, listaremos abaixo alguns fatores de risco para trombose venosa identificáveis e controláveis.

Fatores de risco e situações controláveis durante a gestação e o puerpério.

Situações médicas de risco durante a gestação e o puerpério.

  • Gestação gemelar (mais de um bebê)
  • Fertilização assistida
  • Pré-eclâmpsia
  • Parto prematuro
  • Hemorragia pós-parto
  • Óbito fetal
  • Infecção puerperal

Medidas preventivas da trombose venosa durante a gravidez e o puerpério

Todas as medidas podem ser baseadas no fatores descritos acima, a saber:

  • Alimentação saudável e controle de ganho de peso
  • Procurar tratamento para varizes antes de engravidar ou tomar cuidados especiais se a grávida tiver varizes
  • Não fumar durante a gestação e as primeiras semanas após o parto (aproveite para parar de fumar, de preferência)
  • Hidratação adequada e medicação para conter crises de vômito
  • Fazer exercícios adequados e evitar ficar acamada (a não ser que haja restrição médica)
  • Dar preferência ao parto natural, sempre que possível
  • Gestações de risco implicam em cuidado dobrado
  • Complicações durante ou após o parto requerem atenção quanto o risco aumentado de trombose
  • Acompanhamento médico adicional com angiologista, além do obstetra

 

cta-whatsapp

 

Leia mais sobre trombose venosa profunda

Finalizando, queremos desejar a todas e todos um feliz Natal e um novo ano cheio de esperança e muito trabalho. Às futuras mamães, especialmente, muita saúde e força durante esse tempo especial.

Se você gostou deste conteúdo, curta abaixo e compartilhe nas redes sociais, agradecemos sua visita!

trombose venosa e gravidez
MAS . PORTANTO . ENTRETANTO . PORÉM . ASSIM . CERTAMENTE . ENFIM . ENTÃO . ENQUANTO . A FIM DE QUE . AINDA SIM . ALÉM DISSO . ANTES QUE . AO MESMO TEMPO . AO PASSO QUE . AO PROPÓSITO . APESAR DE . ÀS VEZES . ASSIM COMO .  IGUALMENTE . INEGAVELMENTE . INESPERADAMENTE . SEMELHANTEMENTE . SIMILARMENTE . SOBRETUDO . SURPREENDENTEMENTE . TODAVIA

Postado em: Informativo

Deixe um Comentário (0) →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

AGENDE SUA CONSULTA