Blog

Varizes: novos insights para um velho problema! Parte 5 – Tratamento

Varizes: novos insights para um velho problema! Parte 5 – Tratamento

5 (100%) 2 votes


 

 

 

 

 

 

 

Em primeiro lugar, damos as boas vindas aos inúmeros visitantes que têm seguido a nossa série “Varizes: novos insights para um velho problema”.

Entretanto, se você está começando agora e se interessa pelo assunto, poderá conferir os artigos anteriores da série, nos links abaixo:

Varizes: novos insights para um velho problema! Parte 1 – Introdução

https://www.claudiasathler.com/varizes-novos-insights-para-um-velho-problema-parte-2-causas/

https://www.claudiasathler.com/varizes-novos-insights-para-um-velho-problema-parte-3-consequencias/

Varizes: novos insights para um velho problema! Parte 4 – Reabilitação Venosa

Certamente, se você conferir todo o conteúdo acima, alcançará uma melhor compreensão do problema das Varizes e terá mais chances de cuidar-se melhor.

Neste post, discorreremos sobre os principais tratamentos disponíveis para Varizes.

Antes, vamos lembrar da diferença entre Varizes e “Microvarizes” e, ainda, salientar que o tratamento pode, ou não, envolver as Veias Safenas.

Varizes & “Microvarizes”: Qual a diferença?

Antes de tudo, lembramos que o termo “Microvarizes” foi consagrado pelo uso mas não é o mais apropriado, pois tudo o que é “micro”, somente pode ser visto com auxílio do microscópio.

Dessa forma, as chamadas “Microvarizes” são apenas pequenos vasos, tecnicamente conhecidos como Telangiectasias e Veias Reticulares.

As Telangiectasias não ultrapassam o diâmetro de 1 milímetro; parecem pequenas teias de aranha e têm cor vermelha ou arroxeada.

Já as Veias Reticulares têm entre 1 e 3 milímetros de diâmetro e coloração azulada ou esverdeada.

Embora consideradas como um problema estético por muitos, estes vasinhos prejudicam a circulação venosa e causam sintomas expressivos com bastante frequência.

Por outro lado, denominamos Varizes, as veias com diâmetro superior a 3 milímetros, as quais podem ser visíveis a olho nu, ou podem ser identificadas com um exame ultrassonográfico chamado Duplex Scan ou EcoDoppler.

Para saber mais sobre a classificação da doença venosa, clique no link:

Classificação CEAP

Neste artigo, abordaremos somente os tratamentos relativos às Varizes. Quanto ao tratamento das “Microvarizes”, você pode conferir em outros textos. Microvarizes: saiba o que é e como prevenir

Varizes: Tratamento com a retirada ou com a preservação da Veia Safena?

Agora que já salientamos que Varizes são veias maiores que 3 milímetros, vamos lembrar das Veias Safenas. Qual o papel dessas famosas veias?

As Veias Safenas são os troncos principais no sistema venosos superficial, que recebem o fluxo de veias menores, como se fossem um rio e seus afluentes.

As principais Safenas são: a Veia Safena Magna e a Veia Safena Parva. As pessoas que apresentam varizes, podem, ou não, apresentar refluxo nas Veias Safenas.

Referentemente ao refluxo, você se lembra desse conceito?  Sempre que o fluxo de sangue nas veias se der em direção contrária àquela que seria fisiológica, normal, teremos um tipo de refluxo.

Em outras palavras, refluxo nas veias das pernas é causa da doença venosa e consequência do mau funcionamento das válvulas venosas nas paredes das veias, um fluxo na contramão.

Certamente, teremos um atraso no fluxo, um tipo de congestão, certo? Esse raciocínio pode nos ajudar a entender a perturbação e consequente aumento da pressão dentro do sistema venoso, em decorrência do refluxo.

O refluxo frequentemente ocorre nas veias doentes, desde os pequenos vasos até as Veias Safenas. Contudo, quando há refluxo safeno, precisamos definir se a Safena deve ser eliminada ou preservada.

Se o refluxo for parcial e de menor impacto, podemos tratar as Varizes, preservando a Veia Safena. Porém, se a Veia Safena estiver gravemente comprometida, pode precisar ser envolvida no tratamento.

Os critérios importantes para preservarmos ou eliminarmos a Veia Safena com refluxo estão descritos no texto: REFLUXO NA VEIA SAFENA, SIGNIFICADO E ABORDAGEM

Varizes: Tipos de Tratamento

Finalmente, vamos aos tipos de tratamentos mais frequentemente empregados nos pacientes portadores de Varizes:

Cirurgia convencional

Frequentemente, é realizada a remoção cirúrgica das veias comprometidas. O método é realizado em um hospital para que o cirurgião possa retirar as veias afetadas.

Sendo assim, a recuperação dura em média 1-2 semanas em repouso, deve-se evitar exposição ao sol e o uso de meias de compressão é recomendado.

Confira o vídeo que demonstra a retirada cirúrgica da Veia Safena no link Safena-mitos

LASER Endovenoso

Indicada principalmente para o tratamento da Veia Safena, esse método utiliza o LASER para destruir a veia doente sem a necessidade de arrancamento do vaso.

Necessariamente, um Ultrassom deve ser utilizado para guiar a introdução da fibra ótica do LASER dentro do vaso, o qual é aquecido e cauterizado, perdendo sua função.

Geralmente, o procedimento é realizado em ambiente hospitalar ou em uma Clínica Especializada.

Após o procedimento, o próprio organismo se encarrega de desviar a circulação para outras veias competentes.

Além do mais, na intervenção com LASER, há menor invasividade e a recuperação tende a ser mais rápida.

Radiofrequência

A Radiofrequência também é um método indicado para as Veias Safenas e Veias Perfurantes. Similarmente ao Laser, um cateter é inserido dentro do vaso afetado para queimá-lo.

De igual forma, o procedimento é rápido e a recuperação, também. Tanto a Radiofrequência quanto o LASER têm eficácia comparáveis.

Geralmente, o procedimento é realizado em ambiente hospitalar ou em uma Clínica Especializada.

Assista um vídeo sobre esse procedimento em Termoablacao da veia safena

Escleroterapia com espuma

A escleroterapia com espuma usa uma mistura de um líquido químico (polidocanol) e um gás (pode ser o ar atmosférico ou outros). A espuma formada age na veia causando uma inflamação que leva ao fechamento da área.

Consequentemente, sem a circulação adequada, o vaso murcha, perde a coloração arroxeada e não pode mais ser visto a olho nu.

Sendo assim, é possível ter o efeito desejado com uma ou várias sessões, de acordo com cada caso. Geralmente, não há internação hospitalar e nem afastamento profissional .

Saiba mais a respeito lendo ESPUMA-VARIZES VANTAGENS E DESVANTAGENS

RESUMO

Finalizando, todos os tratamentos supracitados são pertinentes e fazem parte do arsenal médico para o tratamento das varizes.

Ainda sobre o assunto, confira algumas dicas dadas pelo Dr. Drauzio Varella no link https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/varizes/

Se você tem Varizes, não deixe de marcar sua consulta com o Angiologista.

Entre no site da Sociedade Brasileira de angiologia e Cirurgia Vascular e saiba mais sobre a nossa especialidade e sobre a segurança que somente o médico especialista pode oferecer:

http://www.sbacv.com.br/artigos/medicos/origem-e-importancia-da-angiologia

http://www.sbacv.com.br/imprensa/releases/campanha-alerta-para-riscos-de-tratar-varizes-e-vasinhos-nas-pernas-inadequadamente

Se você gostou desse conteúdo, volte ao início e avalie com 5 estrelinhas! Curta e compartilhe!

Queremos também que deixe o seu comentário e sugestão de qual assunto você gostaria que abordássemos aqui. Abraço!

 

Postado em: Informativo

Deixe um Comentário (0) →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

AGENDE SUA CONSULTA